Categories
Letras e Literatura

O discurso erudito

Os painéis de azulejo da aula de poética do Colégio do Espírito Santo de Évora reproduzem as linhas principais do programa educacional jesuíta.

Para definir o âmbito da teoria poética, o conjunto dos painéis da sala de aula do colégio jesuíta de Évora, realizado por volta de 1746, busca descrever os diversos géneros de expressão literária e todo o universo erudito dos estudos humanistas que poderiam servir aos literati.

A mensagem fundamental do discurso das imagens é a de que as peças literárias, poéticas, dramáticas ou musicais favoreçam a moral dos leitores e ouvintes – o que é o mesmo que dizer que a poética deve seguir um discurso persuasivo e unir o útil ao agradável: Quae Commiscuito Utile Dulci.

Com recurso à língua latina e à autoridade dos autores clássicos, as definições expressas nos painéis, à semelhança dos emblemas, procuram criar associações imediatas entre a figura e a palavra para formar um conceito memorável, naturalmente sucinto.

Como sugeriu o estudo de Olivier Millet, é possível estabelecer uma comparação entre as principais ideias do manual pedagógico escrito pelo professor Joseph Jouvancy e o programa iconográfico elaborado para a sala de aula de poética.

Segundo o discurso dos azulejos, na alçada da poética incluem-se os géneros dramáticos, a dança e todo o conjunto de expressões que utilizam a conjugação da imagem com a palavra, seguindo um movimento de renovação da retórica aristotélica no século XVII.

Apollo and the Muses. Colégio do Espírito Santo de Évora. Teresa Verão
Apolo e as Musas. Colégio do Espírito Santo de Évora. Fotografia © Teresa Verão.

Da erudição dos professores jesuítas, além do conhecimento do grego e do latim, deveriam fazer parte a história, a retórica, a poética, a geografia, a cronologia e a emblemática, todas participantes do universo das Belas Letras. Nas palavras do professor jesuíta:

A erudição de um mestre escrupuloso não se limita a ser hábil nas línguas que mencionamos [grego e latim], mas é necessário elevar-se mais alto e conhecer certas ciências que são geralmente ensinadas à juventude, como a retórica, a poética, a história, a cronologia, a geografia, a filologia ou a polimatia, que não é tanto uma ciência bem definida, mas um conjunto de várias ciências das quais um erudito deve ter, como se diz, pelo menos um matiz.

A erudição, a doutrina ensinada com muitas letras, como definiu a Prosodia, o dicionário de Bento Pereira, foi representada por uma figura feminina que tem na mão um livro aberto com a inscrição Eruta Pricis [desenterrados do antigo], uma referência aos versos dos Fastos de Ovídio: “Sacra recognosces annalibus eruta priscis et quo sit merito quaeque notata die”.

Eruditio. Colégio do Espírito Santo de Évora. Teresa Verão
Eruditio. Colégio do Espírito Santo de Évora. Fotografia © Teresa Verão.

No painel de azulejos, a estante dos livros da biblioteca abre para uma paisagem onde estão dispostos túmulos antigos cuidadosamente desenterrados e limpos, numa correlação com o vocábulo erudero que a Prosodia define como “alimpar o entulho das ruínas” e “as coisas sagradas, desenterradas da História Antiga”. Desta forma, no painel de azulejos, a erudição define-se, de maneira mais específica, como o conhecimento dos textos da história sacra.

BIBLIOGRAFIA ESSENCIAL

JOUVANCY, Joseph. De la manière d’apprendre et d’enseigner: “De ratione discendi et docendi”: conformément au décret de la XIVe congrégation générale. Ouvrage destiné aux maîtres de la Société de Jésus. Tradução de H. Ferté, 1892.

MANGUCCI, António Celso. História da azulejaria portuguesa, iconografia e retórica. Tese de doutoramento, Universidade de Évora, 2020.

MILLET, Olivier. “Parole et image dans la représentation allégorique des «arts» à la fin de l’âge baroque. Notes sur quelques azulejos de l’Université d’Evora” in De la Péninsule Ibérique à l’Amérique Latine. Mélanges en l’honneur by Jean Subirats. Edição de Marie Roig Miranda, 1992, pp. 151-167.

PEREIRA, Bento. Prosodia in vocabularium bilingual, Latinum et Lusitanum digesta, 1697.

3 replies on “O discurso erudito”

Leave a Reply to Celso Mangucci Cancel reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s